Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

11/01/2018

E é isto: 2 palacetes, 2 arquitectos destruidores, 900 metros distam entre ambos.


Rua do Quelhas, 21-23, projecto de alterações, com demolição de interiores e construção no logradouro, por Aires Mateus.

Rua do Pau da Bandeira, 1, projecto de demolição da antiga cocheira e construção nova, por Gonçalo Byrne.

09/01/2018

Caixas de distribuição da EDP, EPAL, PT, etc. - Pedido de enterramento


Exmo. Senhor Presidente
Dr. Fernando Medina


CC. EDP, EPAL, PT, AML, VMS

Constata-se que os anos se vão sucedendo mas não a má-prática continuada da EDP, EPAL, PT, etc. (e a passividade da CML) na colocação das respectivas caixas de distribuição na via pública, nos locais mais incríveis, descaracterizando, desvirtuando, conspurcando e enxovalhando o espaço público da cidade de Lisboa e, não poucas vezes, pondo em perigo os transeuntes e a propriedade alheia, como é patente nos vários acidentes havidos com o escancarar as portinholas das caixas e explosões das mesmas. Acresce que são locais privilegiados para a colocação de publicidade indevida, graffiti, acumulação de lixo, etc. (http://cidadanialx.blogspot.pt/2018/01/a-cidade-das-caixinhas-de-distribuicao.html). E muitas destas caixas há muito que não têm utilização alguma.

São milhares as caixas de distribuição nestas situações.
Em toda a cidade.
São situações que existem impunemente desde há décadas.
E é uma situação que envergonha a cidade, porque há muito que tal não existe na Europa com quem queremos ombrear.

Por isso, propomos à CML que:

1) Accione todos os mecanismos legais ao seu alcance no sentido de que as empresas concessionárias (EDP, EPAL, empresas de Comunicações e outras) enterrem estes equipamentos dentro de um prazo considerado razoável;
2) E que até tal situação seja totalmente corrigida, sejam estas empresas e não os serviços da autarquia (ou empresas contratadas, com custos para o erário público) a realizarem, regulamente, limpezas e remoção de tags, graffiti e publicidade ilegal por forma a darem, também, o seu contributo à qualidade do espaço público, e que procedam à remoção das caixas que há muito não têm utilização.

Com os melhores cumprimentos

Paulo Ferrero, Rui Martins, Vítor Vieira, Paulo Dias Figueiredo, Júlio Amorim, Paulo Lopes, António Araújo, Bernardo Ferreira de Carvalho, Luís Mascarenhas Gaivão, Jean Teixeira, Fátima Castanheira, Nuno Franco, Maria de Morais, José Maria Amador, Virgílio Marques, Jorge Lima, Jorge Lopes, Jorge Pinto, Martim Galamba, João Oliveira Leonardo, Beatriz Empis, Carlos Moura-Carvalho, Alexandra Maia Mendonça, Ana Alves de Sousa, Pedro Henrique Aparício, Miguel Atanásio Carvalho, Miguel Jorge, Fernando Silva Grade, Maria do Rosário Reiche e Inês Beleza Barreiros

A cidade das caixinhas de distribuição


Fotos de Vítor Vieira

08/01/2018

Praça Dom João da Câmara e Rua 1º de Dezembro, dois apontamentos.


1 - NA PRAÇA DOM JOÃO DA CÂMARA, O ESCARAVELHO ENCARREGOU-SE DE MATAR AS TRÊS PALMEIRAS QUE AÍ EXISTIAM. PASSARAM-SE OS ANOS E FINALMENTE FORAM PLANTADAS AS ÁRVORES EM FALTA. PORÉM, QUERO CHAMAR A ATENÇÃO PARA A ANOMALIA ENTRETANTO VERIFICADA E QUE IMPEDIU QUE A TERCEIRA ÁRVORE FOSSA PLANTADA . TRATA-SE CERTAMENTE DE UMA FALTA DE COORDENAÇÃO DE DIVERSOS SERVIÇOS QUE CONDUZIU A ESTA SITUAÇÃO CARICATA. ESPERO QUE POSSA SER RAPIDAMENTE RESOLVIDA.

2 - RUA 1º DE DEZEMBRO. NA FACHADA DA ESTAÇÃO DO ROSSIO, O NICHO QUE DURANTE TANTOS ANOS ALBERGOU A ESTÁTUA DE D. SEBASTIÃO, CONTINUA À ESPERA DO SEU REGRESSO.


João Pinto Soares

06/01/2018

Os intocáveis azulejos de Delft....

Painel de Delft, séc. XVII

De produção holandesa e com tradições centenárias, encontram-se pelo Norte da Europa normalmente em casas nobres. Na Escandinávia considerados intocáveis pelas autoridades de protecção ao património. Muito parecido com o azulejo português. No que toca a nível de protecção....as parecenças são inexistentes.

05/01/2018

S.O.S. Painéis figurativos/publicitários - Apelo à CML à sua classificação e vigilância


Exmo. Senhor Presidente
Dr. Fernando Medina,
Exma. Senhora Vereadora
Dra. Catarina Vaz Pinto


C.c. AML, SOS Azulejo e media

No seguimento do roubo de azulejos de um dos conhecidos painéis figurativos/publicitários da Leitaria Anunciada (https://cidadanialx.blogspot.pt/2017/12/azulejos-da-leitaria-anunciada-apelo.html), que levou a que tivéssemos apelado (https://cidadanialx.blogspot.pt/2017/12/e-preciso-combater-venda-ilegal-de.html) à Câmara Municipal de Lisboa para a necessidade urgente de se combater, de uma vez por todas, o tráfico ilegal de azulejos (desde logo por via de campanhas de sensibilização junto dos potenciais compradores, mas também na fiscalização efectiva – tolerância zero – a locais como a Feira da Ladra e as chamadas "feiras de velharias", onde, por sinal, são cada vez mais os postos de venda de azulejos de proveniência duvidosa), serve o presente para:

Apelar a Vossas Excelências para a urgência de facto na classificação e vídeo-vigilância (eventual comparticipação nos custos de instalação), e, nalguns casos, restauro competente (idem), de um conjunto de painéis figurativos/publicitários de grande valor histórico-patrimonial, a saber:

-Antiga Farmácia Ultramarina (foto 7et.fa.ulisboa);
-Casa dos Parafusos (idem);
-Leitaria A Camponesa (foto de Ana Lopes de Almeida/Biblioteca de Arte-FCG);
-Leitaria A Minhota (foto de Ana Paula Costa);
-Pastelaria Bola-Cheia (foto de comjeitoarte);
-Bar Americano (foto de et.fa.ulisboa2);
-J.Vilanova (foto de Miss Lisbon);
-Antiga loja de tintas e pincéis do Corpo Santo (idem);
-Sabonetes Sta. Iria (idem);
-Antiga fábrica de balanças à Sé (foto de lisbon lux);
-Farmácia Cruz Nunes (foto Pat.Cultural de Lisboa, azulejos de Jorge Colaço);
-Leitaria Anunciada (idem).

Na expectativa, apresentamos os nossos melhores cumprimentos e votos de Bom 2018!

​Paulo Ferrero, Bernardo Ferreira de Carvalho, Júlio Amorim​, Jorge Santos Silva, João Mineiro, Gonçalo Cornélio da Silva, José Filipe Soares, Virgílio Marques, Maria João Pinto, Rossella Ballabio, Gustavo Cunha, Pedro Henrique Aparício, Fernando Grade, Miguel Jorge, Maria do Rosário Reiche, Paulo Lopes, António Araújo, José Fonseca, Fátima Castanheira e Maria Ramalho

29/12/2017

É preciso combater a venda ilegal de azulejos - apelo ao PCML


Exmo. Senhor Presidente da Câmara
Dr. Fernando Medina


C.c. ITP, ATL, PSP, SOS Azulejo, AML

No seguimento do roubo verificado recentemente a vários azulejos de um dos painéis figurativos/publicitários da Leitaria Anunciada (https://cidadanialx.blogspot.pt/2017/12/azulejos-da-leitaria-anunciada-apelo.html), e face ao crescendo assinalável de turistas na nossa cidade, julgamos que é o momento certo para, começando o ano de 2018 da melhor forma, a Câmara Municipal de Lisboa dar “tolerância zero” ao comércio ilegal de azulejos.

Assim, instamos a Câmara Municipal de Lisboa a tomar a si a liderança de uma campanha de sensibilização dirigida aos potenciais compradores nacionais e estrangeiros, de modo a que, por via de alertas e informações acerca da proveniência duvidosa de azulejos e de como o seu tráfico tem efeitos nefastos no património da cidade e do país, se consiga combater este flagelo dando-lhe má publicidade.

Tomando como exemplo o cartaz em anexo, já com alguns anos, da autoria de Rosa Pomar, em que se apelava a isto que acabamos de referir e que pode servir de lema a essa campanha mediática;

Solicitamos a V. Exa. o melhor acolhimento desta nossa proposta de modo a que, em parceria com a Polícia Municipal, o S.O.S. Azulejo, o Turismo de Portugal e a Associação de Turismo de Lisboa, se consiga inverter esta situação e estancar de vez o roubo e tráfico de azulejos de exterior e interior.

Na expectativa, apresentamos os melhores cumprimentos

Paulo Ferrero, Bernardo Ferreira de Carvalho, Júlio Amorim, Luis Mascarenhas Gaivão, Rui Martins, José Filipe Soares, Miguel Atanásio Carvalho, Beatriz Empis, Virgílio Marques, Inês Beleza Barreiros, Maria Ramalho, Alexandra de Carvalho Antunes, Maria de Morais, Maria João Pinto, Pedro de Souza, Paulo Lopes, Pedro Formozinho Sanchez, Luís Serpa, Jorge Pinto, Fernando Silva Grade, Leonor Areal e Miguel de Sepúlveda Velloso

Ainda e sempre a "colónia da sineta", obra de Ventura Terra em Caxias


Eis o mais recente artigo de Alexandra De Carvalho Antunes:

Com votos de um 2018 amigo da colónia ;-)

28/12/2017

À atenção da CML:


À atenção da CML, é preciso classificar de Interesse Municipal e ajudar ao seu restauro e vídeo-vigilância (pq estão à mão de semear...), os sgs. painéis figurativos/publicitários: Farmácia Ultramarina (foto 7et.fa.ulisboa), Casa dos Parafusos (idem), Leitaria A Camponesa (foto de Ana Lopes de Almeida/Biblioteca de Arte-FCG), A Minhota (foto de Ana Paula Costa), o painel original da agora Bola-Cheia (foto de comjeitoarte), Bar Americano (foto de et.fa.ulisboa2), J.Vilanova (foto de Miss Lisbon), antiga lj de tintas e pincéis do Corpo Santo (idem), painel da sabonetes Sta. Iria (idem), antiga fábrica de balanças à Sé (foto de lisbon lux), farmácia Cruz Nunes (foto Pat.Cultural de Lisboa) e, claro, toda a fachada da Leitaria Anunciada (idem). Não são assim tantos, pois não? e, claro, toda a fachada da Leitaria Anunciada (idem). Não são assim tantos, pois não?

27/12/2017

Azulejos da Leitaria Anunciada - Apelo à EPAL

À EPAL
Exmos. Senhores


CC. PCML, Vereadora da Cultura da CML, S.O.S. Azulejo e Media

Em sequência do roubo recente feito a um conjunto de azulejos que compunham um dos painéis azulejares da Leitaria Anunciada (Largo da Anunciada, nº 1), painel esse da autoria da famosa companhia Cerâmica Lusitânia e datando, provavelmente, de 1927, data da abertura da Leitaria da Anunciada - fotos em anexo;

Considerando tratar-se de um dos já raros painéis de azulejo figurativo/publicitário existentes na cidade de Lisboa, e por isso mesmo inscrito na Carta Municipal do Património, anexa ao Plano Director Municipal de Lisboa (item nº 45.73 (Antiga) Leitaria “Flôr da Anunciada” (fachada)/ / Largo da Anunciada, 1 a 4; Rua das Portas de Santo Antão, 183-185, in Regulamento/PDM);

E considerando que o edifício em causa é propriedade da Empresa Portuguesa das Águas Livres (EPAL);

Solicitamos a V. Exas. a melhor disponibilidade, cooperação e apoio da EPAL para que, juntamente com o proprietário da Leitaria Anunciada, a Câmara Municipal de Lisboa e o S.O.S. Azulejo (Museu da Polícia Judiciária), se possa:

· Localizar e resgatar os azulejos roubados e proceder à sua recolocação cuidada, ou,
· Encomendar a feitura de réplicas de qualidade a especialistas de reconhecido valor, caso não se consiga localizá-los.

Igualmente, solicitamos a V. Exas. o melhor empenho da EPAL no apoio à:

· Recuperação dos restantes painéis e molduras que compõem aquela magnífica fachada, motivo de orgulho de todos nós.
· E à instalação de câmaras de videovigilância na fachada, de modo a se dissuadir futuros roubos ou actos de vandalismo.

Colocando-nos à disposição de V. Exas. para ajudarmos nesta causa, na medida das nossas capacidades, apresentamos os melhores cumprimentos de votos de Bom Ano Novo!

Paulo Ferrero, Bernardo Ferreira de Carvalho, Júlio Amorim, Beatriz Empis, Paulo Lopes, Fátima Castanheira, Rui Martins, Virgílio Marques, Luís Mascarenhas Gaivão, Maria do Rosário Reiche, Maria Ramalho, Inês Beleza Barreiros, Jorge Pinto, João Oliveira Leonardo, Miguel Jorge, Ana Alves de Sousa, António Araújo, Miguel de Sepúlveda Velloso e Fernando Silva Grade

26/12/2017

Enquanto isso...


A estrutura do clube de tiro de Monsanto, concebida por Carlos Ramos, está assim, ou seja, foi p'ró maneta. Era modernista? E?